Entrevistas 2 meses atrás | Thalita Monte Santo

Conheça o LAC e sua visão inspiradora

Fotógrafo cria projeto de impacto social, insere jovens no universo fotográfico e os prepara para o mercado.

por Revista FHOX

Texto por Thalita Monte Santo | Fotos: Leandro Neves/LAC

A imagem, seja ela estática ou não, é uma linguagem universal. Apesar disso, quase sempre é seletiva, quando não elitizada. Isso porque sua prática ou reprodução muitas vezes é cara, o que a torna inacessível para parte das pessoas.

No entanto, há entusiastas que acreditam nela como uma agente transformadora e trabalham
para que a prática fotográfica possa alcançar o maior número de pessoas. Entre esses mobilizadores está Leandro Neves, fotógrafo natural de São Bernardo do Campo, mas que hoje reside na cidade de São Paulo.

Nos últimos 10 anos, Neves ofereceu bolsas de estudos, mentorias, emprestou e doou equipamentos para profissionais em início de carreira. Em 2018 decidiu que iria oficializar tais ações em um projeto que pudesse atender quem deseja começar na fotografia.

Foi assim que primeiramente surgiu “a” LAC – Locadora Audiovisual Colaborativa, onde equipamentos eram emprestados sem custo algum.

Leandro Neves
Leandro Neves, fotógrafo idealizador do LAC – Laboratório Audiovisual Colaborativo.

“Quando anunciei o projeto, amigas e amigos mais próximos fizeram doações e, juntos, com
os equipamentos que já tinha disponibilizado, foi necessário alugar um lugar para armazenar e distribuir os equipamentos”, explica Neves.

Como uma semente plantada em terra fértil, o projeto cresceu e se tornou “o” LAC – Laboratório Audiovisual Colaborativo, uma empresa de impacto social, cujo propósito hoje é qualificar jovens, através de cursos de fotografia, iluminação, tratamento de imagem, produção de vídeo, pós-produção, linguagem, roteiro e empreendedorismo, e inseri-los no mercado.

O espaço está localizado na Rua Maria Paula, bem no centro de São Paulo. Um lugar estratégico, já que a maior parte dos alunos do projeto é das margens da cidade. “Como boa parte das pessoas que buscam equipamento são das periferias, é importante estar localizado em um ponto de fácil acesso”, conta Neves.

O fotógrafo faz questão de enfatizar que a ideia do LAC é escoar e amplificar conhecimento, mas
também oferecer ferramentas de trabalho e criar pontes com empregadores.

“Eu nasci e cresci em periferia. Fui bolsista do Prouni, da Capes e de mais um monte de coisa.
Vi na prática como a educação pode mudar a vida de alguém. A ideia do projeto também é devolver para a sociedade um pouco do que recebi nesses últimos anos”, ressalta.

Somente neste ano, já foram feitos mais de 100 empréstimos de equipamentos, e também a concessão de 10 bolsas de estudos para rodadas de negócios e cursos de roteiro na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado). Além disso, os alunos do projeto produziram um documentário sobre masculinidade e filmaram um vídeo institucional para a maior financiadora de crédito estudantil do País, o PRAVALER.

Entre todos esses acontecimentos e passos importantes, o idealizador afirma que o mais importante
é a inserção no mercado. “Nossos alunos e alunas já estão trabalhando com diversos profissionais”.
Atualmente cinco bolsistas fixos fazem todos os cursos da iniciativa, recebem aconselhamentos e
apoio para seus projetos pessoais. Eles também têm prioridade no empréstimo e doação.

Para manter o projeto de pé, Neves conta com o apoio de pessoas que acreditam na iniciativa
e com o lucros de trabalhos comerciais que faz. A única coisa que o idealizador pede é que profissionais abram espaço para os alunos do LAC.

“Pedimos sempre que se precisar de assistentes, fotógrafos, videomakers e afins, entrem em contato conosco. Não tem custo algum e mandamos sempre os alunos que mais se destacam”.
Para conhecer mais sobre o LAC, fazer doações de equipamentos ou entrar em contato para algum trabalho, acesse: www.lac.art.br.